Brincar: suas vantagens e a melhor maneira.

O período em que todo o mundo viveu o isolamento social devido a pandemia de Covid 19 evidenciou diversos desafios, problemas e soluções quanto ao estilo de vida contemporâneo da humanidade. Uma das questões fundamentais sempre foi e ainda continua sendo a educação dos filhos, crianças ou adolescentes, em casa ou na escola, com o propósito de prepará-los para que tenham bom desempenho não apenas profissional ou sucesso financeiro.

Um dos aspectos desafiadores do modo de vida atual é conciliar o tempo dedicado às atividades de trabalho, vida familiar, pessoal e/ou ainda atividades sociais que exigem participação e compromisso. O equilíbrio entre todos os interesses e obrigações não é naturalmente estabelecido. Prioridades e responsabilidades precisam ser definidas, escolhas e decisões tomadas, não apenas individualmente, mas em negociações com outras pessoas em níveis sociais ou pessoais.

Isto quer dizer que certas habilidades e competências específicas são muito necessárias, principalmente no campo das relações humanas. Inclusive esta é uma área fundamental na qual crianças e adolescentes devem ser preparados, cada vez mais exigida até mesmo no mundo do trabalho, chamada muitas vezes de “soft skills”.

Porém, além de tudo o que já nos ocupa e tantos desafios para dar conta de coisas novas a todo instante, como ainda encontrar um meio de preparar os filhos quanto a mais aspectos tão específicos ou que demandam atenção, conhecimento, mais habilidades e muita vontade?

Muito bem! É exatamente neste ponto em que se introduz a importância do brincar com nossos filhos. Isto mesmo! Apenas brincar. Não “brincar apenas”, porque brincar não é uma coisa sem importância ou meramente acessória em nossas vidas. Como assim – você poderia me perguntar – está de brincadeira? Não. Ainda que eu estivesse, seria no sentido mais sério de todo o meu trabalho e estudos nos últimos anos. Brincar com os filhos é coisa séria e ao mesmo tempo não deixa de ser algo prazeroso e divertido.

Não se trata apenas de brincar pelo brincar, passar tempo juntos já é algo muito valioso, mesmo de maneira espontânea. Infelizmente a simples atenção pode estar em falta muitas vezes, mas, como em muitas outras áreas, a qualidade e não a quantidade são o mais importante. O modo como os pais aproveitam os momentos com os filhos será de grande impacto em suas vidas, além das alegrias e experiências por si só, grandes lições para a vida toda podem ser transmitidas.

Estas lições podem acontecer em pequenas situações, nos detalhes de uma interação, justamente num desafio ou “problema” que deixa de ser visto como tal por proporcionar a oportunidade exata para que a criança ou adolescente desenvolva a tal “soft skill” necessária. Basta estar atento aos momentos chave, com o desejo de servir, cooperar, dar o exemplo, priorizar a outra pessoa naquilo que ela demonstra dificuldade, ou seja, amar. Não apenas de palavra, trata-se de ações e coisas práticas que podem ser mensuradas inclusive.

Enfim, na maioria das circunstâncias é óbvio que os que educam, pais ou cuidadores em geral, precisam possuir e dominar o que pretendem transmitir. Por isso mesmo que não existe atendimento psicológico aos filhos sem a inclusão dos responsáveis ou outros familiares. Cada vez mais cresce no mundo inteiro o número de pesquisas e intervenções baseadas em evidências para apoiar os pais na educação dos filhos. Terapia de criança ou adolescente é terapia de família sim! Ainda que o único atendido em certas sessões seja o(a) filho(a), mesmo ausentes, quando um membro entra no processo todos se beneficiam no sistema.

Luis Antonio Silva Bernardo

Psicólogo CRP 06/115616

Ps.: grato ao exemplo do trabalho de minhas colegas em Portugal, como o de Ilda Reis.