Crianças difíceis?

 

Que as crianças sejam mandonas é até previsível, tendo em conta que todos nós queremos nos sentir bem e alcançamos isso quando o que acontece é do nosso agrado. O desafio é como conseguir sem ser agressivo, mantendo o respeito e que os outros também tenham um certo grau de satisfação suficiente para não se revoltarem contra nós.

As crianças, quanto mais novas, aprendem a dinâmica disto nas relações que lhes são permitidas estabelecer. Aprendem pelos modelos no seu convívio e de acordo com o modo que começam a interpretar os resultados que observam, na vida dos outros e na própria. Estes são princípios de aprendizagem cognitivo social, como proposto por um dos maiores pesquisadores no assunto e mais importante psicólogo ainda vivo, Albert Bandura.

Com isto, antes de controlar (ou justamente para controlar) o comportamento das crianças podemos inicialmente apenas ter o controle do nosso próprio comportamento, seja quanto ao modelo que estamos oferecendo ou que tipo de reações temos diante da criança mandona. O que fazer logo após um comportamento autoritário, dependendo de como ela interpreta o que fazemos e se consegue o que deseja, irá aumentar ou diminuir a probabilidade de a criança agir do mesmo modo futuramente.

Há muitas formas de treinarmos nossas próprias reações que moldam o comportamento das crianças, o que eu considero mais eficiente e menos trabalhoso são pelo menos 30 minutos diários de brincadeiras com os filhos. Mas, refiro-me a um tipo de brincadeira ativa e "centrada na criança", como programas para pais, baseados em evidências, sugerem e também praticamos na primeira parte do workshop que realizo com famílias.

Não apenas isso, mas há outros níveis de intervenções possíveis para dar conta de comportamentos inadequados que as crianças já aprenderam ou evitar que se desenvolvam com características pouco habilidosamente sociáveis. Há sistemas de regras com pontos e consequências bastante difundidos que também utilizo e costumo recomendar, como num exemplo que mencionei em outro lugar.

Luis Antonio Silva Bernardo

Psicólogo CRP 19/004142