top of page

Que tipo de Psicoterapia comprovadamente funciona?

 

O processo de psicoterapia não segue um caminho “aleatório” e incerto quanto aos resultados que pode alcançar, muito pelo contrário, trabalhamos juntos (Psicoterapeuta e Paciente/Cliente) com base em um planejamento que é revisto e avaliado continuamente durante todo o acompanhamento.

Por isso, elaborei este breve e simples esclarecimento sobre o "tipo de Psicoterapia que comprovadamente funciona” com a intenção de oferecer às pessoas que tenho a honra de atender como psicólogo, algumas informações que otimizam os ganhos para elas com o processo psicoterápico.

Um passo fundamental é, obviamente, desenvolvermos uma relação terapêutica colaborativa e sólida, na qual os seus valores, objetivos e aspirações são totalmente respeitados e os do terapeuta só valem dentro do campo Ético e Profissional, nunca pessoal.

 

A cada encontro inicialmente fazemos uma avaliação e temos momentos de reflexão para dar e receber feedback, durante e ao final das sessões, sobre o que cada um de nós percebemos, como avaliamos o seu progresso, como a pessoa se sente e que mudanças deseja.

O que melhor para cada um não significa seguir padrões contrários aos seus princípios, estilo de vida, cultura, espiritualidade, sexualidade e tudo o que considera mais importante. O conhecimento da psicologia permite liberdade para tomar as decisões mais saudáveis em sua vida. A quebra do sigilo ou oposição ao que qualquer indivíduo deseja só acontece quando existe e são percebidas evidências suficientes  quanto a riscos contra sua própria vida ou de terceiros (como previsto no Código de Ética do Psicólogo).

Além de compreender suas limitações ou dificuldades, a pessoas atendida também poderá perceber melhor seus aspectos mais positivos e fortes, que já possui, utilizou em outros momentos de sua vida, ainda faz uso deles, serão úteis no próprio processo de psicoterapia e no futuro.

Trabalhamos como uma equipe, psicoterapeuta e paciente/cliente, mas, toda equipe possui um líder! Como se trata da psicoterapia de quem busca pelo serviço, o líder da equipe é sempre ele, ela ou são eles! Quem toma a decisão final a respeito do que deve ou não realizar em  suas vidas são sempre as pessoas atendidas.

Aspectos do passado na vida de todos nós são importantíssimos e devem ser reunidas informações sobre eles desde o início da psicoterapia de todos nós. Porém, serão abordados em qualquer  tratamento apenas na medida dos próprios interesses e demandas de quem recebe atendimento, de acordo com a necessidade para compreender o que contribuiu em seu desenvolvimento relacionado com o momoento atual ou, quando as mudanças no presente não forem suficientes para SUA satisfação (nunca por demanda do psicoterapeuta) e desejar abordar um assunto.

Os avanços alcançados num processo de psicoterapia permite que a maioria das pessoas se torne “o terapeuta de si mesmo”. Pois, todos adquirem conhecimentos e capacidades de aplicá-los pelo resto de sua vida, em todas as áreas e diante dos desafios futuros sem depender de um psicoterapeuta para sempre.

 

Existe uma previsão para o tempo de acompanhamento numa Psicoterapia que realmente funciona, com começo, meio e fim. O tratamento basicamente possui fases de avaliação, psicoeducação, planejamento de ações e prevenção da recaída. Geralmente em 12 a 20 sessões é possível que a maioria dos Transtornos Mentais Comuns e situações problemáticas sejam melhor administradas, mas, existem casos específicos ou intercorrências que podem exigir um período maior de trabalho de até 1 ou 2 anos. Considero importante lembrar o Código de Ética do Psicólogo em seu texto no art. 2º, alínea “n”, quanto a não prolongar desnecessariamente a prestação do serviço. Trabalhos específicos de apoio ao desenvolvimento podem acompanhar toda a vida e mesmo assim com diminuição da periodicidade.

Neste sentido, para manter uma estrutura e previsão clara de como alcançar o sucesso com a Psicoterapia, as sessões também possuem uma previsão de começo, meio e fim. Não se trata de um “bate papo” apenas para se sentir melhor ou desabafar. Embora seja muito importante a oportunidade de falar e ser ouvido, cada momento da conversa tem um objetivo claro para seu bem-estar.

Todas as pessoas que buscam por um serviço psicológico devem ser auxiliadas a perceber como melhor questionar, refletir e examinar a si mesmo da maneira mais coerente com seus propósitos. Assim, gradativamente passam a elaborar suas próprias mudanças e Planos de Ação a cada semana.

Antes de cada sessão considere as seguintes reflexões:

  1. O que aconteceu de importante esta semana?

  2. Como me senti na maior parte do tempo?

  3. Quais são as minhas principais preocupações neste momento?

  4. O que percebo que está mudando e quais são minhas dificuldades?

  5. Como estão meus relacionamentos?

  6. Existe algo que não posso esquecer de falar?

  7. Como foi a última sessão e o que pratiquei desde então?

  8. Existe algo que ainda não consegui falar na psicoterapia?

Enfim, todo o processo da psicoterapia é solidamente baseado em evidências científicas que foram reunidas durante décadas por diversos pesquisadores, clínicos e profissionais de muitas regiões do mundo, que desde já você pode ter acesso e aplicar à sua vida!

Referências:

- Beck, A. T.; Rush, A. J.; Shaw, B. F.; Emery, G. “Cognitive Therapy of Depression”. The Guilford clinical psychology and psychotherapy series, 1979

 

- Beck, J. S. "Terapia cognitivo-comportamental - teoria e prática". Artmed, 3ª Ed. 2022.

- Coelho, R. M. & Teodoro, M. L. M. "Terapia de casais: avaliação e intervenção". In, Teodoro, M. L. M. & Baptista, M. N. Psicologia de Família: teoria, avaliação e intervenção. 2 ª Ed. – Porto Alegre : Artmed, 2020.

 

- Wright, J. H.; Basco, M. R.; Thase, M. E. “Aprendendo a terapia cognitivo-comportamental: um guia ilustrado”. Tradução: Armando, M. G. Porto Alegre: Artmed, 2008.

 

- Rodrigues, H., Mesquita, C., Ventura, P. (2019). Tratamento com terapia cognitivo-comportamental e realidade virtual para o medo de voar de avião: protocolo para o terapeuta. In Federação Brasileira de Terapias Cognitivas, C. B. Neufeld, E. M. O. Falcone & B. P. Rangé (Orgs.), PROCOGNITIVA Programa de Atualização em Terapia Cognitivo-Comportamental: Ciclo 6 (pp. 9–42). Porto Alegre: Artmed Panamericana. (Sistema de Educação Continuada a Distância, v. 2)

Luis Antonio Silva Bernardo

Psicólogo CRP 19/004142

Logotipo do Psicólogo Luis Bernardo com a coroa do Reino
bottom of page