“Lugar Sagrado”

 

Sim, o “setting terapêutico” é um “lugar sagrado”! Para quem não conhece, refere-se ao local de encontro do/a terapeuta e o/a cliente. A sala de atendimento psicoterapêutico durante a sessão. Este ambiente seguro onde acontece a “relação terapêutica”, outro termo técnico para se referir a algo único que só pode existir entre uma pessoa que busca ajuda psicológica e outra que, profissionalmente, é contratada para ajudar com conhecimentos, técnicas e estratégicas baseadas em muitos e muitos anos de estudos do terapeuta, mas, principalmente, da própria humanidade na forma de ciência construída durante séculos e, mais intensamente, nas últimas décadas. Já escrevi um pouco sobre este assunto em outro texto, mas a densidade do fenômeno exige mais.

Que outro local e momento você teria para ser totalmente o “dono”, sem obrigação nenhuma, nem mesmo de “ser” de fato o dono do ambiente? Tempo e espaço para não se preocupar com nenhuma forma de julgamento, censura, preconceito, limites ou pressões de qualquer natureza. Diante de uma outra pessoa humana como você, mas que estará como profissional 100% dedicado a lhe compreender, apoiar e ajudar no sentido de melhorar sua qualidade de vida de acordo com sua vontade. Lugar e momento tão especiais que transcende até o ambiente virtual. Até seu lar e do terapeuta podem se tornar um nesta experiência única.

Existem limites? Sim. Como tudo na vida, ainda que sejam os limites naturais do que é possível realizar ou da moral e ética universal no sentido de preservar a vida. Desse modo, apenas se o profissional identificar uma situação de risco para você mesmo ou terceiros é que poderá intervir segundo seu julgamento para que haja o menor dano possível. Mesmo assim, trata-se de uma possibilidade para zelar pelo seu bem e segurança, ainda que de imediato não lhe seja percebido dessa forma. Para isso que também existe este "Lugar Sagrado" de proteção.

Não há dor que não possa ser revelada ou até guardada em segredo, pois nem existe regra para o que deve ou não ser dito. Nem mesmo toda verdade é necessária para que algo seja realizado no sentido de melhorar a qualidade de vida. O profissional psicólogo não trabalha como um investigador que “precisa” saber de tudo, exatamente como as coisas são ou aconteceram, para poder lhe ajudar. Também não existe um padrão exato do que deve ser alcançado ou mudado, ou o que define exatamente as fronteiras entre a saúde e insanidade mental.

Não obstante, somos os especialistas sobre o comportamento humano e diversos processos de experienciar a vida, como relacionamentos, desenvolvimento, padrões, promoção humana, características, saúde, doenças, competências, habilidades e muitas outras especificidades de estudo, compreensão e intervenção possíveis por meio da ciência e profissão da psicologia.

Sendo assim, em que outro lugar e momento, diante de qualquer outra pessoa (não confunda com o momento das suas orações), o ser humano pode ficar tão à vontade, certo de que será tratado como realmente é e à luz do que a humanidade tem de melhor para oferecer? Porque não depende da qualidade exclusiva de quem oferece o serviço e é algo com começo, meio e fim, com finalidade e propósito que você mesmo estabelece, sob teu controle e até onde deseja. Mesmo o melhor relacionamento de sua vida é relacionamento e deve existir troca no mesmo nível e valor, pois não seria justo de outra forma. O Setting Terapêutico e a Relação Terapêutica são voltados para que você se sinta melhor, mas, não somente isso, pois as vezes irá se sentir pior, porém, nunca a mesma pessoa que entrou no processo de psicoterapia.

Luis Antonio Silva Bernardo

Psicólogo CRP 19/IP-004142